Informações práticas sobre zonas problemáticas comuns

Ao longo do tempo, a forma como as empresas utilizam os seus ativos evolui, acompanhando as mudanças nas condições do mercado. Os centros de distribuição constituem um excelente exemplo deste padrão. O que costumava ser um local relativamente estático para armazenamento prolongado de grandes quantidades de produtos, muitas vezes com custos elevados, é agora um ambiente dinâmico.

Os custos aumentaram em todas as fases da cadeia de abastecimento. Isto significa que a manutenção de níveis elevados de aprovisionamento quando os bens não são imediatamente precisos, entregas pouco rigorosas e custos de mão-de-obra mais elevados do que o necessário devido a processos muito exigentes, são ineficiências inadmissíveis.

Em vez disso, os produtos são expedidos em quantidades precisas, “just in time”, exatamente para onde são necessários. Rigor, rapidez, eficiência e lucro são as prioridades, e o papel do centro de distribuição é facilitar o movimento dos bens de forma a maximizar estas variáveis.

Pesquisas recentes destacaram que, na Europa, os gestores dos centros de distribuição partilham um objetivo comum: reduzir os custos. 79% foram encarregados pelos seus superiores de identificar formas de alcançar os chamados “benefícios rápidos”, através do processamento e expedição mais eficiente dos produtos. O estudo enfatiza a importância de identificar maneiras de se poupar tempo, o que é reforçado pelo título do seu estudo: “Todos os segundos contam”.

Na Europa, onde os custos do trabalho são elevados, quando comparados com as economias em desenvolvimento, poupar tempo é fundamental para alcançar benefícios rápidos com redução de custos, frequentemente através de melhorias pequenas, mas significativas, nos processos e investimento estratégico em tecnologia de colaboração.

Download do relatório