14 Novembro de 2017 - Da redução dos custos ao aumento da agilidade e das receitas, à digitalização total do processo de manufatura, espera-se que o Indústria 4.0 proporcione melhorias internas e inovação da produção. Tudo isto é música para os ouvidos dos fabricantes, mas até que ponto estão longe de alcançar estas metas? Surpreendentemente ou não, a nova investigação levada a cabo pela Sapio Research em nome da Zetes, revelou a verdadeira extensão dos desafios com que a indústria se depara e a lacuna verificada entre os objetivos operacionais e o que está a ser efetuado.

Manufacturing report 2017Apenas 29% dos fabricantes admitem que compreendem de facto o que significa dispor de uma Rede de cadeia de abastecimento digital (DSN), com menos de 15% a implementar uma DSN e a esperar que se torne a norma nos negócios nos próximos cinco anos. Quais são os maiores desafios relativos à adoção desta rede? A falta de visibilidade de informações prejudica as probabilidades de uma organização ser capaz de aceder a informações relevantes em tempo real.

Principais conclusões

Atualmente, os fabricantes indicam que assegurar informações importantes na cadeia de abastecimento ponta-a-ponta é um desafio (80%), sendo que lidar com informações em tempo real (75%) e a capacidade de lidar com as informações são obstáculos significativos que têm de ser superados. Outros destaques relativos à investigação de manufatura incluem:

  • Mais de metade (59%) não dispõem de visibilidade em tempo real dos níveis de stock na organização;
  • 65% não dispõem de visualização em tempo real da programação de manufatura dos fornecedores;
  • 68% não dispõem de visualização em tempo real relativamente aos volumes de manufatura nas instalações no seio da organização;
  • Apenas um terço dos fabricantes são capazes de reunir informações ao longo da cadeia de abastecimento
  • Apesar do aumento da Internet das Coisas (IoT) e da ambição das redes de abastecimento digitais, a eficácia da organização ainda depende de meios de comunicação obsoleto, tais como telefone, fax e e-mail, para partilhar informações essenciais

O facto de mais de dois terços dos fabricantes não conseguirem fornecer aos decisores acesso às informações necessárias para tomar decisões comerciais informadas é uma preocupação premente.
Embora 89% dos fabricantes refiram que acreditam que neste momento uma simples visualização das informações relativas a operações da cadeia de abastecimento é essencial, apenas 30% dispõem de visibilidade ponta-a-ponta. Assim, os próximos 12 meses serão um período de tempo crucial para os fabricantes à medida que adotam ações para transformar as respetivas empresas. Existem sinais positivos de que muitos estão a realizar mudanças vitais; 38% dos inquiridos procuram melhorar a colaboração dos fornecedores, 35% procuram monitorizar o desempenho dos fornecedores e 34% pretendem alertas preditivos para minimizar as ruturas.

Necessidade de agilidade, colaboração e informação em tempo real

Portanto, o que será essencial para concretizar as vantagens do movimento de digitalização? Criar uma camada de informações integrada alimentada por sistemas essenciais, permitindo a colaboração entre departamentos, e dispor da capacidade de aceder às informações certas no momento certo, a partir de qualquer ponto da cadeia de abastecimento. Acima de tudo, permitir que a administração tome as decisões essenciais necessárias para acolher a manufatura impulsionada pela procura e corresponder, ou até exceder, as expectativas dos clientes. As vantagens claras incluem melhorar a agilidade e maximizar o investimento em equipamento dispendioso, e fazê-lo reduzindo também os níveis de inventário e libertando fundo de maneio.

Sébastien Sliski, Diretor Geral de Soluções de Cadeia de Abastecimento na Zetes declarou:

"Os fabricantes sabem que na indústria tem de existir um maior foco na velocidade, precisão e agilidade na cadeia de abastecimento ponta-a-ponta, para conseguirem manter a competitividade e usufruir das potencialidades do Indústria 4.0. O único modo de serem capazes de beneficiar dessas potencialidades consiste em otimizar os processos entre sistemas legados e novos sistemas, bem como fornecer aos principais intervenientes informações úteis de fontes de dados em tempo real."

"Ligar diferentes ilhas de informação internas e externas e harmonizar esses dados são fatores essenciais para fazer comparações válidas e apoiar a tomada de decisões inteligentes. A pressão é intensa, mas quando os fabricantes começam a implementar pequenas mudanças na cadeia de abastecimento e se tornam mais proativos, ocupam uma posição melhor para se envolverem totalmente no Indústria 4.0 e podem começar a beneficiar das vantagens tanto para os negócios como para os clientes."

- FIM -

A investigação, realizada em agosto de 2017 pela Sapio Research, visou 330 gestores em vários setores de manufatura na Europa e na África do Sul.

Transfira o relatório subordinado ao tema "Os fabricantes pretendem dispor de visibilidade e colaboração na cadeia de abastecimento; o que está a impedir que o consigam?"